URGENTE! - Últimas noticiais. Look de Outono com Blusa listrada Testei Loção Deo Adstringente da Beira Alta Look de Outono com Vestido de coração

01/05/2011

O Escolhido de Maio é ..




Nome:  Jefferson Adriã Reis
Idade: 20 anos
Onde mora: Pedra Preta/ Rondonópolis – Mato Grosso
Signo: Peixes
                                     
                           

    _____________________


- Olá Jefferson, tudo bem?
Muito bem =]
 
- Estou muito curiosa para saber mais sobre você e seu blog.
 
- Então.. Vamos começar?
Sim

                            ______________________

- Esta lendo algum livro? Qual?
 Estou lendo uma coletânea de contos da Lygia Fagundes Telles. O livro se chama Melhores Contos e é publicado pela Global Editora.

- Qual(is) Livro(s) mais gosta?
Gosto de ler literatura intimista, então me amarro em Caio Fernando Abreu e na Lygia Fagundes Telles. Gostei muito de ler Morangos Mofados, do Caio e As Meninas, da Lygia. Fora da literatura intimista, gosto de Harry Potter. Confesso que li todos os livros da série. Sou um pottermaníaco. O primeiro livro que li se chama Tisto, O Menino Do Dedo Verde. É de um escritor francês, indico a leitura. Também indico O Meu Pé De Laranja Lima, que li quando tinha oito anos.  

                * Sobre o Blog.

- Jefferson. De onde surgiu a ideia de fazer um blog?
Fui um adolescente tímido e introspectivo, que só se expressava na internet. Gosto de escrever desde os 13 anos, então decidi abrir um espaço na rede para postar “coisinhas minhas”. Meu primeiro Blog se chamou Abismo Maldito. Esta foi minha fase obscura. Depois veio o Palavras Perversas, que abandonei ao criar o Garoto Mal Intencionado. Hoje sou dono do GMI e acabo de criar o Absoluto Dom De (In) Existir. Espero conseguir manter os dois na rede.

- De onde surgiu o nome 'Garoto Mal Intencionado'? 
Existe um filme chamado Segundas Intenções, na tradução brasileira. Gosto do filme, que retrata intrigas entre jovens ricos. Um jovem que tem segundas intenções é quase um jovem mal intencionado, não é? E como sobrevive algo de garoto dentro de mim, resolvi deixar Garoto Mal Intencionado. Por mais que eu cresça e me torne adulto, este garoto sempre estará comigo.

- De onde surgiu o nome 'Absoluto Dom De (In)Existir'?
Estava pensando em um nome para o blog enquanto ouvia a música Amado, da Vanessa da Mata, quando de repente ela canta, “(...) Sinto absoluto o dom de existir, não há solidão, nem pena (...)” e foi daí que retirei e adaptei o nome do blog. Até porque, existo, mas não sei existir muito bem.
- Quanto tempo o GMI existe? 
O GMI tem pouco mais de um ano. Foi criado dia 25 de fevereiro de 2010.
- O que você mais gosta de escrever e o que te inspira?  
Esta é uma pergunta difícil. Gosto de escrever o que sinto, gosto de retratar meu mundo, de dizer o que penso sobre isso e aquilo. Muitos de meus textos é uma espécie de grito, de renúncia, repulsa. Outros são simples recados ou intensas confissões. O que me inspira? Presto muita atenção nas coisas, nas pessoas, nos ambientes. Posso dizer que minha vida me inspira, os seriados que vejo, livros que leia, músicas que escuto.
- O que me diz sobre o plágio?  
Não gosto. Uma atitude horrível. Tenho horror a quem faz isso. Acredito que a originalidade é uma das coisas que compõem nossa personalidade.  Se plagiarmos, então nossa personalidade é de alguma forma, danificada. Já plagiaram alguns de meus textos. E o chato é que não colocaram os devidos créditos. Já encontrei trechos de textos meus até em perfil de Orkut.

- Por que considera seus textos 'problemáticos'?
Sou um tanto quanto problemático e isso com certeza “respinga” (na verdade, chove mesmo) em meus textos. Alguns textos podem parecer sem sentido, mas escrevo para ser sentido e não para fazer sentido. Já escrevi com raiva, chorando, muito animado, bêbado, com tesão, triste. Em fim, uma grande bagunça de emoções. Digo que meus textos são problemáticos por que geralmente os escrevo quando me sinto só, quando estou esperando por algo, quando estou revoltado.
          Mais de você:
- Você se define em quantas palavras? Quais?  
Aprendi com Caio Fernando Abreu que o meu nome não é uma palavra. Meu nome não é um som. Na verdade, meu nome é TUDO o que sou. Isso também serve para essa coisa de se definir. Quando alguém me faz esta pergunta, respondo que sou tímido de princípio, que sou romântico, mas que meu lado realista é mais forte, que gosto de sonhar, de pensar, de fazer, de beijar e principalmente ir e fazer. Digo que gosto de beber, e que estou com meus pés no chão, mas a cabeça nas nuvens. No entanto, isso tudo é tão pouco de mim. Sou muito mais que isso. 

- O que você gostaria de nunca perder?  
Gostaria de nunca perder minha mãe, meu pai, meus familiares. De perder todo esse amor.
 
- Como define seu estilo?
Não sei exatamente como fazer isso. Acho que me enquadro nesta tal de literatura online, que alguns Blogs começaram a falar. Na verdade, nem sei se o que escrevo pode ser considerado literatura. Tantas coisas não são. Mas para responder tua perguntar vou arriscar e definir meu estilo: Sou íntimo.


Meu sonho para a vida é me formar, fazer um mestrado, um doutorado e continuar escrevendo, publicar livros e vários trabalhos. Meu sonho para o Blog é que cresça e seja bem reconhecido. Que as pessoas gostem do que posto lá.
  - Qual seu maior sonho: para vida e para o blog?
- O que me diz sobre a sua sexualidade?
Sou gay desde que nasci. Com cinco anos já sabia disso. Claro que não entendia necessariamente o que queria dizer e como a sociedade hipocritamente encara isso, mas com cinco anos eu sabia, “Gosto de garotos e não de garotas”. Muitos podem dizer que não, que com cinco anos não tem como saber, mas digo que sim, que comigo aconteceu desta forma. Encaro isso de forma tão natural, que às vezes esqueço que ainda é um tabu e que a grande maioria vê como um desvio. Não é desvio, é sexualidade. Quando vejo duas mulheres se beijando, por exemplo, não penso algo como , “Nossa, duas mulheres se beijando”. É tão normal que me assusto quando alguém se espanta com isso. 
- O que você acha quando as pessoas se referem ao homossexual como 'ela'?
Ridículo. Um homem gay não é uma mulher, é um homem. Eu, por exemplo, sou gay, mas adoro ser homem. Sou homem porra, homem que gosta de homem. Nunca quis ser mulher, usar roupas de mulher, me comportar como uma mulher. Alguns homens gays gostam de serem tratados no feminino, mas são poucos dentro de toda a classe gay. 

Na infância não, mas minha adolescência foi um pouco complicada. As pessoas me deixavam isolado. Os meninos não gostavam de conversar comigo, me davam apelidos e várias fofocas sobre mim circulavam na escola. Cheguei a ter alguns apelidos desagradáveis. Mas isso não é bullying. Posso ter a felicidade de dizer que nunca sofri bullying. Bullying destrói a pessoa e estou muito bem. 
- Qual sua opinião sobre o preconceito dos próprios homossexuais?
Outra coisa ridícula. É tão chato quando vejo gays com preconceitos bobos. E existem muitos gays que tem preconceito contra gays. Na UFMT/CUR, universidade que frequento, tem muitos assim. Os chamamos de “encubados”. Os encubados sentem medo de ser quem realmente são por causa do preconceito da sociedade. Geralmente sentem inveja de quem enfrenta este medo.  

- Você já sobreu Bullyng na infância?
Nota-se que você tem muitas fotos na noite. 

- Você gosta da escuridão da noite? O que me diz sobre ela?
Adoro a noite, a madrugada e sim, tenho muitas fotos de noite. Tenho mania de sair pela cidade à noite, vendo os neons. Adoro neons, letreiros, luzes Também gosto da noite pelo fato de que fico mais à vontade. A madrugada me remete ao submundo, mundo dos excluídos, de quem anda na contramão. Acho que pra eu me apaixonar mesmo por um cara, ele tem que aceitar dar um passeio comigo de madrugada, ainda mais se o tempo estiver frio. O frio no cerrado é bonito. Me faz sonhar. 

- Por que Mister Neurotic?
 Mister é uma forma de título de respeito. Não tanto quando Lorde, mas é uma espécie de Senhor. Gosto disso. Neurotic veio do fato de meu humor oscilar muito, sempre mudar, me deixando quase que neurótico.

                      Complete.

Eu gosto de: achocolatado
Eu não gosto de: fimes de luta
 
                Chegando ao fim.

- Conte-nos o seu maior mico. 
Já paguei tantos micos. Vou contar um bem forte que aconteceu recentemente. Estavam Bruna, Leonardo e eu no R.U (restaurante universitário) para almoçarmos. Passávamos com nossas bandejas no lugar onde pega a comida. Uma fila atrás de nós. Foi quando Bruna resolveu me pedir que eu passasse o vidro de farinha de milho a ela, que despejou pequena quantidade no prato. Eu, querendo fazer igual, virei o vidro sobre o prato e sacudi. A tampa caiu e TODA A FARINHA foi despejada sobre o arroz. MUITA FARINHA. Todo mundo começou a rir e vaiar. Eu fiquei vermelho. No mínimo umas cinquenta pessoas presenciaram o micão. Para completar, o Léo começou a dizer algo como “Tinha que ser a Jussara mesmo”. Jussara é meu Nome de Guerra entre os gays da minha classe. A Bruna é Brunocão Travecão Chave de Fenda, o Leo é a Leandra Borges. Uma garota sentou no chão, de tanto rir. Foi tenso.

- Diga a frase que formou agora em sua cabeça.
Quem leu a entrevista desde o começo deve estar se perguntando: “Mas ele disse que gosta de ser homem, então porque o chamam de Jussara?”. Explico: Jussara Feitiço é a forma como meus amigos do babado, mais chegados, me chamam quando o ambiente é de brincadeira, de descontração. É muito divertido. Tenho uma amiga que faz Engenharia Agrícola que se chama Mara. O Nome de Guerra dela é Marão Martelão.
- O que você achou da entrevista? *
Gostei muito. Me diverti respondendo. Você me fez lembrar de muitas coisas.
- Algum recado para os leitores? *
É muito difícil ser quem realmente somos nesta sociedade em que vivemos Mas vale a pena, vale muito a pena. Você saberá disso quando olhar para trás e perceber que viveu tantas coisas legais, que não teve medo. Saberá disso quando perceber que por mais que tenha poucos amigos, eles te aceitam como você realmente é.
 - Bom Jefferson é isso. Fiquei muito feliz mesmo por aceitar o convite.
Amei cada palavra que você disse, e espero que as pessoas, tenham pelo menos um pouco de simancol e parem com esse preconceito ridiculo.
Foi um prazer enorme te entrevistar e ler cada palavra super bem pensada.
Obrigada!

                                                             
Seu selo Jefferson                                                                
    ________________________________

Quer você e seu blog aqui?
Quer ser o Destaque do mês de Maio?

16 escritor(es):

  1. Amei as respostas do Jefferson. Bem explicadas, deu para entender muito bem o ponto de vista. :)

    ResponderExcluir
  2. Ááááá... tb quero ser entrevistado... aproveita que ainda estou no anonimato e não estou cobrando nada... kkkkkkkkkkkkkk

    Gostei do Blog

    Abraços

    Alexandre
    http://soupretomassoulimpinho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. UHULL. São 03:22 aqui em meu estado, Mato Grosso e acabo de ler a entrevista. Gostei muito de estar em seu Blog e da entrevista. Obrigado xD.

    ResponderExcluir
  4. Uma excelente escolha!

    Conheço o espaço do Jefferson e gosto muito da forma como ele escreve. É natural, verdadeiro e sabe ser crítico no tom certo. Precisamos de mais pessoas que saibam mostrar suas verdades de forma tão clara como ele faz!

    ResponderExcluir
  5. Hey peoples. Que bom que gostaram, tinha minhas duvidas q ele nao iria aceitar, mas do nada fui supreendida, adorei muito mesmo. Simpatico d+ esse garoto que nem parece ter 20 anos, tão lindo.

    ResponderExcluir
  6. O Jefferson tem uma das personalidades mais interessantes de todas as pessoas que conheci pela internet, ele achou meu blog, comentou, dias depois descobri o blog dele, segui ele no twitter etc etc etc, desde então mantemos contato. Sempre sincero, realista e polêmico.
    O que mais me chamou atenção na entrevista foi a resposta da pergunta de como ele se define, em especial esse trecho ''Aprendi com Caio Fernando Abreu que o meu nome não é uma palavra. Meu nome não é um som. Na verdade, meu nome é TUDO o que sou.''.

    Parabéns pela entrevista, adorei

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Anônimo2.5.11

    muito show !!!

    ResponderExcluir
  8. Oi seguindo retribui? E meu blog abriu com um novo visual! Confira e diga sau opinião! Bjs ;*

    ResponderExcluir
  9. ei pamela...so pra constar: to sendo fiel ao link do orkut la da cumnidade blogueira, hein...to aki, comentando e te visitando...um grande abraço

    ResponderExcluir
  10. Maravilhoso.

    Escolha-me em junho:

    http://francorebel.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir
  11. Otimo blog *-* ta de parabens! Estou seguindo! segue tbm:

    http://nessabryto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Este "garoto" é muito interessante. Gosto dos textos deles e até me identifico em alguns trechos. Acho que o Jefferson é interessante por sua complexidade de pensamentos e ao mesmo tempo simplicidade em pessoa. Não o conheço pessoalmente, mas talvez ele seja assim; eu o imagino assim. kk

    ResponderExcluir
  14. Simplesmente adorei a entrevista...
    Ele é hiper mega fofo...
    E acho que realmente a sociedade tem que parar com essas atitudes pequenas e ridiculas de preconceito...
    Todos,eu digo TODOS NÓS,temos uma escolha e temos principalmente gostos diferentes...

    Beijos linda e parabéns pela entrevista muito bem elaborada...
    Adorei...

    ResponderExcluir
  15. Adorei a entrevista Pam.
    Como eu já disse isto é legal para nos conhecermos novos blogueiros!
    sucesso.
    http://senhoritaliberdade.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao Era outra vez, fico feliz com o seu comentário, ele é muito importante.

Volte sempre o/