Batom Matte Ricosti Wood Resenha Viagem de Férias - Esmaltes Nati Dica de Série: Scorpion Resenha Força com Pimenta Bio Extratus

23/01/2016

Resenha (Cinco Minutos e A viuvinha)


Olá leitores , eu me chamo John e fui convidado para participar da parte literária desse blog. Então, nesse espaço falaremos sobre tudo que envolve o mundo dos livros, como lançamentos , favoritos , resenhas e muito mais. Não teremos dias definidos para as postagens, mas caso queiram  se manter informados , é só acompanhar o meu instagram literário que é o @leitoremserie ou o da Pam que é @pameladalalva. Conto com a participação de todos nos comentários , no envio de sugestões que contribuam para o desenvolvimento deste quadro e gostaria de desejar boas vindas ao público de leitores ! Espero cumprir com eficácia a missão a que me foi destinada e atender vossas expectativas. 

Quem me acompanha nas redes sociais , sabe que fiz um projeto para ler mais clássicos da literatura brasileira em 2016. Já tinha lido alguns desses livros nos tempos da escola (Onde éramos obrigados para fazer uma prova) e li poucos (quase nada) nos anos depois.

Esse tipo de leitura não é algo que geralmente desperte o nosso interesse inicialmente, pois além das lembranças que temos da escola, a linguagem é mais rebuscada e exige mais atenção e dedicação do que a dos demais livros. 


Sobre o livro

Destaco a importância de em algum momento mergulharmos no universo dos clássicos , para conhecermos um pouco mais da nossa cultura , das histórias da nossa terra. Por isso vou indicar um livro de poucas páginas e que apesar do vocabulário ser mais rebuscado , é entendível e dá pra você lê-lo sem visitar o dicionário.


A obra traz dois escritos do autor José de Alencar , conhecido pelo seu descritivismo e regionalismo. Em "Cinco minutos" um rapaz perde o ônibus , devido a um atraso de exatamente cinco minutos e conhece aquele que pode ser o amor da sua vida. Mas calma , ele se vê inicialmente apaixonado por uma sombra , já que o ônibus estava escuro e a moça usava roupas que não permitiam conhecer o seu rosto. Movido por essa paixão , o jovem rapaz começa a procurar por essa sombra , até encontra - lá num lugar onde ele não esperava. Só que mal sabe ele , que a donzela que se chama Carlota não o avistou a primeira vez dentro daquele ônibus e possui uma história misteriosa que lhe desperta a curiosidade e o faz percorrer longos caminhos em busca do seu grande amor.

Em "A viuvinha" um rapaz órfão e abastado chamado Jorge, recebe a notícia de seu tutor (que se responsabilizava pela herança que o seu pai deixou até Jorge completar a maior idade) que está falido e se encontra na condição de pobre, já que além de não pagar as dívidas deixadas pelo seu pai, usufruiu do dinheiro ao seu bel prazer. Angustiado , ele decide ir a igreja e conhece uma linda donzela chamada Carolina que acende o fogo da paixão em seu coração, então decide seguir ela e sua mãe até a sua casa e começa a  tornar esse sentimento mais forte.

É chegado o grande dia em que eles confessam o seu amor diante dos homens e dos anjos, uma cerimônia com poucos presentes , na própria residência da moça. Na lua de mel , um dia que seria o marco na vida da moça que permitiria que o rapaz a conhecesse, uma grande tragédia acontece e ela fica conhecida como a viuvinha do Rio de Janeiro, mas será que ela ficará presa a esse sentimento para o resto da sua vida ? Isso você irá descobrir lendo essa história. 

As narrativas trazem o Rio de Janeiro no início do século XX como pano de fundo, são escritas em forma de carta, onde o remetente (O próprio José de Alencar) se encontra na posição de narrador observador e a destinatária, mencionada como sua prima, seríamos nós leitores. Então o narrador mantém uma comunicação direta com os leitores e o fato de apresentar a figura feminina como destinatária da carta é referente ao público que lia as histórias de José de Alencar, que eram na sua maioria mulheres burguesas. 

Por se tratar de uma obra do período do romantismo, é apresentado algumas características dessa escola como : idealização do amor e da mulher amada e linguagem hiperbólica.


Espero que tenham gostado dessa resenha! Até o próximo post.

Acompanhe em:

10 escritor(es):

  1. Uhuuuuu ! Minha estréia como colunista \o/ \o/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Normalmente temos preguiça de mergulhamos no universo dos livros clássicos,exatamente por sua linguagem rebuscada.Mas como amo os clássicos vou acatar sua dica John e esse livro do José de Alencar vai para minha lista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim.. Esse seria um dos clássicos para quem está tendo o primeiro contato com esse tipo de leitura ! Espero que goste tb.. Obrigado pela participação :)

      Excluir
  4. Gostei bastante da resenha, me instigou a querer ler um livro que normalmente eu não me interessaria.
    Beijos

    www.blogsoudelua.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha mudado um pouco a sua concepção, a intenção é essa ! Obrigado pela participação.. Bjss ;)

      Excluir

Olá, Tudo bem? Bem - vindos ao Era Outra Vez, iremos amar ler e responde todos os comentários. Atenção: Os comentários são moderados.

A Equipe agradece desde já pela visita e pelo seu comentário.
Volte sempre o/